quarta-feira, 20 de abril de 2011

Um tempo para nós!

Falar de tempo é falar de algo que não agrada à muitos.
O tempo se manifesta como um inimigo que te impede de realizar alguma coisa;
que te pressiona a fazer algo sem a calma e o esmero que você tanto deseja.
Mas, em se tratando da nossa existência aqui, sabemos que todos vivem por um tempo.
E então morrem!!!
É uma regra que não quebramos!
O tempo acaba.
A vida se esvai...
escapa do nosso controle...
não conseguimos retê-la!!!
Desejo que você entenda a importância que precisa dar a isso!!!
Usar com sabedoria o tempo que recebeu.
Aproveitá-lo pra descobrir valiosos tesouros!!!
Tentar entender o motivo da sua existência.
E, por fim, encontrar respostas...
e, quem sabe?... oferecer respostas à quem não foi tão eficiente como você nessa busca!!!
Eu não sei se você acredita na existência de um Deus.
E não vou partir pra essa discussão.
Uma coisa é perceptível:
Temos prazo aqui.
Não podemos, simplesmente, ignorar isso!!!
Estamos, a cada dia, face a face com esses eventos chocantes que causam tantas mortes!!!
Contemplamos milhares de "fim do tempo" para milhares de pessoas.
Inclusive aquelas a quem amamos!!!
Pense nisso!!!
O que você vai fazer, dentro desse prazo?
Um grande abraço!!!
E te desejo uma ótima viagem até que o tempo se acabe...
Ou melhor!!!
Que não seja um fim!
Desejo que seja o começo de um novo tempo!!!


Josué de Oliveira Silva.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Pense Nisso!!!

Algo que se desfaz com os anos... Que murcha... envelhece... degrada-se... e, por fim, desaparece!!! Vc chamaria isso de Realidade? Eu não.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

ENTRE O PECADO E O PERDÃO!




            Não se passa diretamente do pecado ao perdão.  O perdão existe.  E ai de nós se ele não existisse.  O perdão retira um fardo de sobre as costas que ninguém suporta.  Só o perdão pode levantar a mão de Deus que pesa dia e noite sobre aquele que está em pecado.  O perdão acaba com o senso de culpa, com os pesadelos.  Com a agitação nervosa, com o sobressalto.  O perdão restaura a saúde e o bom humor.  O perdão devolve a alegria que o pecado roubou.
            Mas há um problema muito sério, impossível de ser contornado.  É que entre o pecado e o perdão há uma passagem obrigatória que se chama arrependimento.  Deus não autoriza ninguém a falar em perdão sem falar antes em arrependimento.  Tanto  João Batista quanto Jesus iniciaram a sua pregação com este apelo: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus (Mt 3:2, 4:17).  Quando a multidão, que estava em Jerusalém no dia de Pentecostes, perguntou aos apóstolos o que deveriam fazer frente à forte convicção de pecado que tomou conta dela, Pedro respondeu de imediato: arrependei-vos... (Atos 2:38).
            Sem arrependimento o perdão não acontece.  Perdão sem arrependimento estimula o próximo pecado e gera cinismo.  Perdão sem arrependimento não cura ninguém, não transforma ninguém.  Perdão sem arrependimento não torna ninguém ex-assassino, ex-idólatra, ex-avarento, ex-adúltero, ex-sodomita.  Perdão sem arrependimento pode encher os templos religiosos mas não enche a Igreja do Deus Vivo.  Perdão sem arrependimento é uma blasfêmia contra a santidade de Deus.